O Bambu Chinês

Reflexão: para você seguir firme em seus propósitos…

155b0e8e-985x515

O Bambu Chinês é plantada e sua semente depois de plantado durante os primeiro 5 anos não se vê nada exceto um lento desabrochar de broto. Durante 5 anos, todo crescimento pelas suas raízes ele acontece por de baixo onde não conseguimos ver a olho nu.

Mas, uma maciça e fibrosa estrutura de raiz está sendo construída para todos os lados. Então, no final do 5º ano, o bambu chinês cresce até atingir a altura de 25 metros.

O bambu chinês nos ensina que não devemos facilmente desistir de nossos sonhos e projetos pois são eles que nos levam para frente…

“Muitas coisas na vida pessoal e profissional são iguais ao bambu chinês. Você trabalha, investe tempo, esforço, faz tudo o que pode para nutrir seu crescimento, e às vezes não vê nada por semanas, meses ou anos. Mas se tiver paciência para continuar trabalhando, persistindo e nutrindo, o seu 5º ano chegará, e com ele virão um crescimento e mudanças que você jamais esperava.”

O bambu chinês nos ensina que não devemos facilmente desistir de nossos projetos e de nossos sonhos. Em nosso trabalho especialmente, que é um projeto fabuloso que envolve mudanças de comportamento, de pensamento, de cultura e de sensibilização, devemos sempre lembrar do bambu chinês para não desistirmos facilmente diante das dificuldades que surgirão.

Procure cultivar sempre três bons hábitos em sua vida: a Persistência + Paciência, fibra e flexibilidade, pois você merece alcançar todos os seus sonhos!

Abraços, até a próxima

Autor: Wilson Ferreira

Formado em Gestão de Recursos Humanos, Graduando Administração de Empresas e Pós-Graduando em MBA em Liderança e Coaching na Gestão de Pessoas. Venho aprofundar o estudo teórico e prático na área de administração de empresas, recursos humanos e gestão de pessoas. Oferendo aos participantes métodos e ferramentas capazes de envolver as pessoas nas estratégias e objetivos da empresa, considerando as transformações da sociedade contemporânea e as mudanças de paradigmas enfrentadas pelas organizações.

Deixe uma resposta