COACHING PARA PERFORMANCE

a-estrutura-de-um-trabalho-de-coaching-o-processo-de-coaching

John Whitmore, foi um pioneiro da indústria de coaching executivo, autor e piloto de corridas britânico.

Ele é considerado um dos grandes pensadores na área de liderança e melhoria contínua corporativa, tendo auxiliado diversas empresas ao redor do mundo a estabelecer uma cultura de coaching e gestão de líderes. Sua metodologia GROW é considerada um dos pilares do coaching tradicional.

Ele escreveu cinco livros sobre liderança, coaching e esportes, entre eles o best seller Coaching Para Performance publicado em 17 línguas e que ultrapassou a marca de 500.000 livros vendidos.

COACHING PARA PERFORMANCE

 SEQÜÊNCIA DAS PERGUNTAS

G – Goal – definido para a sessão tanto quanto para curto e longo prazos.

R – Realidade – exploração da situação atual

O – Opções e estratégias alternativas ou cursos de ação

WWhat/When/Whom/Will – O que será feito, Quando, Por Quem e o Desejo de fazê-lo.

 PERGUNTAS DE COACHING

GOAL

Qual é a matéria ou assunto no qual você gostaria de trabalhar?

Que tipo de resultado você está esperando ao final desta sessão de coaching?

Quão longe e quão detalhadamente você espera ir nesta sessão de coaching?

No longo prazo qual é o seu goal relacionado a este assunto? Qual o tempo para isso?

Quais os passos intermediários e quando eles irão acontecer?

REALIDADE

Qual é o detalhamento da situação atual?

Qual e quão grande é sua preocupação sobre isso?

A quem mais este assunto afeta além de você?

Quem conhece seu desejo de fazer alguma coisa sobre isso?

Qual é o grau de controle que você pessoalmente tem sobre esse resultado?

Quem mais tem controle e em que grau?

Que ações você já tomou à respeito até agora?

O que lhe impediu de fazer mais?

Que obstáculos você terá que enfrentar pelo caminho?

Existe algum obstáculo interno ou resistência pessoal sua para tomar essas ações?

Que recursos você já tem? Habilidades, tempo, entusiasmo, dinheiro, apoio, etc?

Que outros recursos você necessita? De onde você eles virão?

Qual é realmente o problema aqui, o ponto central?

OPÇÕES

Quais são as diferentes maneiras pelas quais você poderia lidar com esse assunto?

Faça uma lista de todos as alternativas, pequenas ou grandes, completas ou parciais.

O que mais você poderia fazer?

O que você faria se tivesse mais tempo, orçamento maior ou se você fosse o chefe?

O que você faria se você pudesse começar do zero, ou com uma nova equipe?

Você gostaria de ouvir uma sugestão minha?

Quais são as vantagens e as desvantagens de cada uma dessas alternativas?

Qual o levaria ao melhor resultado?

Quais destas soluções lhe atraem mais, ou você sente que seria melhor para você?

O que lhe daria maior satisfação?

WILL

Qual opção, ou opções, você escolhe?

Em que medida ela atende a todos os seus objetivos?

Qual seu critério ou medida de sucesso?

Quando precisamente você vai começar e terminar cada estágio de ação?

O que poderá impedi-lo de seguir esses passos ou atingir seu goal?

Que resistência pessoal, se há alguma, você tem para seguir os passos fixados?

O que você vai fazer para eliminar estes fatores externos e internos?

Quem necessitará saber de seu plano?

Que apoio você necessita e de quem?

O que você vai fazer para obter esse apoio e quando?

O que eu posso fazer para apoiá-lo?

Numa escala de 1 a 10 quais seu comprometimento em seguir as ações combinadas?

O que lhe impede que seja 10?

Conclusão

As pessoas de alta performance estão, sempre, em melhoria contínua e trazem excelentes resultados para as empresas.

Abraços, até próxima

 

Autor: Wilson Ferreira

Formado em Gestão de Recursos Humanos, Graduando Administração de Empresas e Pós-Graduando em MBA em Liderança e Coaching na Gestão de Pessoas. Venho aprofundar o estudo teórico e prático na área de administração de empresas, recursos humanos e gestão de pessoas. Oferendo aos participantes métodos e ferramentas capazes de envolver as pessoas nas estratégias e objetivos da empresa, considerando as transformações da sociedade contemporânea e as mudanças de paradigmas enfrentadas pelas organizações.

Deixe uma resposta