FORTALECENDO SUA AUTOESTIMA

É um gato, mas a imagem refletida é a de nobreza do leão, poder do leão, força do leão. Você não precisa ter a imagem da nobreza, se você se vê como nobre.

comparacao

Autoestima é a avaliação que a pessoa faz de si mesma, envolvendo crenças, emoções e comportamento. É a capacidade que a pessoa tem de respeitar, confiar e gostar de si.

A autoestima é formada na infância, a partir do tratamento recebido, das relações estabelecidas com os pais, uma vez que esses servem de espelho para os filhos, quanto às identificações e sentimento de afeto. É através dessa interação afetiva que os sentimentos positivos ou negativos são desenvolvidos e a autoimagem é construída.

Sendo assim, as experiências do passado influenciam significativamente na autoestima durante a fase adulta.

Situações de perda, bem como frustrações, decepções e o não reconhecimento por parte dos outros e de si próprio podem abalar a autoestima.

A autoestima baixa pode ocasionar problemas psicológicos, como depressão, ansiedade, uma vez que interfere na maneira de ver o mundo e consequentemente no comportamento, provocando um sentimento de incapacidade, inadequação e insegurança.

A pessoa que vivencia uma autoestima baixa pode investir em relações de dependência, que não são produtivas, já que sente necessidade de sempre ter alguém ao seu lado.

A autoestima influencia em tudo que se faz, na escolha de relacionamentos, na vida profissional.

A confiança em si mesmo, o respeito dos próprios limites, o reconhecimento dos valores, o sentimento de capacidade e a expressão de sentimentos aumentam a autoestima.

Pessoas que estão com a autoestima elevada encaram a vida de frente e superam dificuldades.

FORTALEÇA SUA AUTOESTIMA

 

Abraços, até a próxima

 

 

COACHING PARA PERFORMANCE

a-estrutura-de-um-trabalho-de-coaching-o-processo-de-coaching

John Whitmore, foi um pioneiro da indústria de coaching executivo, autor e piloto de corridas britânico.

Ele é considerado um dos grandes pensadores na área de liderança e melhoria contínua corporativa, tendo auxiliado diversas empresas ao redor do mundo a estabelecer uma cultura de coaching e gestão de líderes. Sua metodologia GROW é considerada um dos pilares do coaching tradicional.

Ele escreveu cinco livros sobre liderança, coaching e esportes, entre eles o best seller Coaching Para Performance publicado em 17 línguas e que ultrapassou a marca de 500.000 livros vendidos.

COACHING PARA PERFORMANCE

 SEQÜÊNCIA DAS PERGUNTAS

G – Goal – definido para a sessão tanto quanto para curto e longo prazos.

R – Realidade – exploração da situação atual

O – Opções e estratégias alternativas ou cursos de ação

WWhat/When/Whom/Will – O que será feito, Quando, Por Quem e o Desejo de fazê-lo.

 PERGUNTAS DE COACHING

GOAL

Qual é a matéria ou assunto no qual você gostaria de trabalhar?

Que tipo de resultado você está esperando ao final desta sessão de coaching?

Quão longe e quão detalhadamente você espera ir nesta sessão de coaching?

No longo prazo qual é o seu goal relacionado a este assunto? Qual o tempo para isso?

Quais os passos intermediários e quando eles irão acontecer?

REALIDADE

Qual é o detalhamento da situação atual?

Qual e quão grande é sua preocupação sobre isso?

A quem mais este assunto afeta além de você?

Quem conhece seu desejo de fazer alguma coisa sobre isso?

Qual é o grau de controle que você pessoalmente tem sobre esse resultado?

Quem mais tem controle e em que grau?

Que ações você já tomou à respeito até agora?

O que lhe impediu de fazer mais?

Que obstáculos você terá que enfrentar pelo caminho?

Existe algum obstáculo interno ou resistência pessoal sua para tomar essas ações?

Que recursos você já tem? Habilidades, tempo, entusiasmo, dinheiro, apoio, etc?

Que outros recursos você necessita? De onde você eles virão?

Qual é realmente o problema aqui, o ponto central?

OPÇÕES

Quais são as diferentes maneiras pelas quais você poderia lidar com esse assunto?

Faça uma lista de todos as alternativas, pequenas ou grandes, completas ou parciais.

O que mais você poderia fazer?

O que você faria se tivesse mais tempo, orçamento maior ou se você fosse o chefe?

O que você faria se você pudesse começar do zero, ou com uma nova equipe?

Você gostaria de ouvir uma sugestão minha?

Quais são as vantagens e as desvantagens de cada uma dessas alternativas?

Qual o levaria ao melhor resultado?

Quais destas soluções lhe atraem mais, ou você sente que seria melhor para você?

O que lhe daria maior satisfação?

WILL

Qual opção, ou opções, você escolhe?

Em que medida ela atende a todos os seus objetivos?

Qual seu critério ou medida de sucesso?

Quando precisamente você vai começar e terminar cada estágio de ação?

O que poderá impedi-lo de seguir esses passos ou atingir seu goal?

Que resistência pessoal, se há alguma, você tem para seguir os passos fixados?

O que você vai fazer para eliminar estes fatores externos e internos?

Quem necessitará saber de seu plano?

Que apoio você necessita e de quem?

O que você vai fazer para obter esse apoio e quando?

O que eu posso fazer para apoiá-lo?

Numa escala de 1 a 10 quais seu comprometimento em seguir as ações combinadas?

O que lhe impede que seja 10?

Conclusão

As pessoas de alta performance estão, sempre, em melhoria contínua e trazem excelentes resultados para as empresas.

Abraços, até próxima

 

O QUE SÃO CRENÇAS E COMO ELAS INFLUENCIAM NOSSOS COMPORTAMENTOS

crenas-3-638

A mente é um lugar em si mesma e pode fazer do inferno um paraíso ou do paraíso um inferno. “John Milton”

Crença é toda a programação mental (sinapses neurais) adquirida como aprendizado durante toda a vida e que determina nossas verdades, comportamentos, atitudes, resultados, conquistas e qualidade de vida.

Essa programação mental é registrada em nossos neurônios em forma de sinapses neurais, ou conexões neurais, formadas a partir das experiências sensoriais que cada pessoa vivencia no dia a dia, porém, principalmente na infância.

De fato, tudo o que vimos, ouvimos e sentimos repetidamente ou sob forte impacto emocional é registrado em forma de aprendizado. É justamente esse aprendizado que vai nos direcionar consciente ou inconscientemente ao longo da vida.

Reprogramação de crenças

Podemos reprogramar nossas crenças pela repetição de estímulos leves ou por meio dos estímulos sob forte impacto emocional. Porém, o primeiro passo é identificarmos as crenças, convicções e certezas que nos levam, de forma consciente ou não a fazer as escolhas que nos aproximam e nos afastam de uma vida rica e abundante.

 

Entendendo os dois lados do cérebro

O cérebro se divide em dois lados: o hemisfério esquerdo, ligado a funções mais lógicas e racionais, e o hemisfério direito, ligado aos sentimentos, às emoções e à criatividade, entre outras. Essa divisão, porém, não é absoluta, pois os dois hemisférios são interconectados, trabalhando em conjunto, e o papel de cada área varia de acordo com a necessidade.

 

A importância de termos bons sentimentos

Bons sentimentos produzem bons resultados e maus sentimentos produzem maus resultados.

Quando nos sentimos bem e felizes, produzimos mais serotonina mais endorfina e mais dopamina, que, juntas nos fazem olhar para o futuro e não para o passado, nos fazem focar na solução e não nos problemas e ainda revigoram e ativam o sistema imunológico, trazendo mais bem-estar e saúde física.

No entanto, quando os sentimentos são negativos, nosso organismo busca congruência com esses sentimentos e produz uma química proporcional a eles. E quando persistimos ou intensificamos esses sentimentos ruins, a química neuro-hormonal segue o mesmo caminho produzindo ainda mais hormônios como cortisol, hormônio do estresse, e adrenalina, que atua em momentos de medo e raiva.

Em grande quantidade, esses hormônios se tornam um veneno físico e emocional para o ser humano, interferindo diretamente no córtex frontal, prejudicando decisões e comportamentos. Além disso, danificam o sistema imunológico e fazem com que o foco sejam as ameaças e não as oportunidades. Tudo isso é determinado pela qualidade e intensidade dos sentimentos.

Entrevista com Gregg Braden – O Poder do Sentimento

 

Saiba mais:

https://administradormaisvoce.com/2017/12/22/programacao-neurolinguistica/

Conclusão

Nossas crenças são definidas por nossas experiências do passado – o que vivenciamos, vimos e ouvimos – e que tomamos como verdade. Mas nem sempre temos consciência dessas crenças.

Lembrem-se sempre: O que acreditamos gera nossos pensamentos. Os pensamentos geram sentimentos. Os sentimentos geram ações. E as ações geram os resultados!

Abraços, fiquem com Deus!

 

 

Construindo sua marca pessoal

Construindo sua marca pessoal

melhor_marca

Todos nós temos uma marca. É a forma como somos reconhecidos. É o que falam de nós quando estamos ausentes. É a imagem que passamos ao nosso mercado. É importante ressaltar que nossa marca pessoal pode e deve ser planejada, construída, cuidada e alimentada para que seja uma marca reconhecida positivamente. Confira agora sete dicas para você construir sua marca pessoal:

1- Defina aonde você realmente quer chegar. Quais são seus objetivos na vida?

A primeira dica é realmente saber o que você quer da vida. Aonde quer chegar? O que realmente quer ser? Como quer ser visto(a) e reconhecido(a)?

2- Alicerce sua vida em valores e princípios elevados.

Sua marca tem que ter como alicerce um conjunto elevado de crenças, valores e princípios sobre os quais ela será construída.

3- Defina claramente qual é o seu público-alvo. Quem você quer servir?

É fundamental você definir o seu mercado, ou seja, quem você quer servir, atender, enfim, seu público-alvo.

4- Invista em seu conhecimento técnico e seja excelente no seu campo de atuação.

Para ter sucesso é preciso que você seja excelente no que faz do ponto de vista técnico, ou seja, que seja especialista e não pare de se aperfeiçoar dentro do campo em que atua.

5- Tenha foco. Foco é onde você concentrará de 70% a 80% de sua energia.

Foco é fundamental para o sucesso. Saiba dizer não as tentações que o farão perder o foco.

6- Defina qual é seu diferencial e sua proposta única de valor a seu público-alvo.

Pense qual a razão pela qual alguém contrataria você ou seus serviços. Qual a sua proposta única de valor? Qual o seu real diferencial? Invista em seu diferencial competitivo.

7- Seja consistente e coerente com seus princípios e valores.

A coerência entre o discurso e a prática, isto é, o que você fala e o que você faz, é fundamental para o sucesso de sua marca pessoal. Toda a sua vida e suas ações, atitudes e comportamentos devem ser consistentes com sua proposta e como quer ser reconhecido(a). Sem essa consistência e essa coerência a sua marca terá vida curta.

Saiba Mais

https://www.ibccoaching.com.br/portal/vida-profissional/como-construir-credibilidade-profissional/

Conclusão

Analise com atenção essas sete dicas e pense como sua marca pessoal é vista hoje e o que deve fazer para que ela comunique o que você quer ser e como quer ser reconhecido (a).

Pense nisso. Sucesso!

 

TEORIA DA DOMINÂNCIA CEREBRAL

Liderando através do comportamento

Whole-Brain-picture

Na hora de lidar com a equipe, os diferentes tipos de gestores também acabam enviesados pelo seu estilo de liderança. Por isso, nesse campo, há ferramentas que auxiliam o processo de gerenciamento. Uma delas é a Teoria da Dominância Cerebral, desenvolvida por Ned Herrmann. Ela divide o cérebro em eixos e quadrantes a partir de pesquisas médicas e auxilia na hora de compreender melhor as habilidades e limitações de cada um.

Sabendo exatamente com quem você está lidando, fica mais fácil identificar desafios, oportunidades e tipos de trabalho designados a cada membro do seu time.

Saiba Mais

https://administradormaisvoce.com/2017/11/28/analise-de-comportamento-teste-de-perfil-comportamental/

https://www.personalidades.mobi/Perfil_Comportamental/

 

Abraços, até a próxima

Técnicas e Ferramentas de Coaching

A DIFERENÇA ENTRE QUEM VOCÊ É E QUEM VOCÊ QUER SER…

É O QUE VOCÊ FAZ.

coaching1

Técnicas e Ferramentas de Coaching

O princípio do coaching é liberar o potencial de uma pessoa.

A denominação dos termos utilizados na técnica:  Coach, Coaching e Coachee.

O papel do Coach é perguntar e acolher.

O papel do Coachee é pensar, agir e aprender.

Princípio do coaching

Segundo LAGES, A; O´Connor, J. (Como o coaching funciona., 2ª. Revisão, 2013, pg. 5).

“consiste em ajudar as pessoas a mudar no sentido em que almejam e a seguir na direção desejada. O coaching apoia as pessoas em todos os níveis do processo de se tornarem aquilo que desejam e ser o melhor que podem”.

Conforme Withmore (2006, p. 12.) “o Coaching é um comportamento gerencial que se baseia na extremidade oposta a do espetro de comando e controle”.

Segundo Gallwey (2013, p. 9) “liberar o potencial de uma pessoa para maximizar sua performance, ajudá-la a aprender em vez de ensiná-la”

Denominações corretas

Coach = profissional e no plural = coaches

Coaching = processo

Coachees = cliente

Papéis e responsabilidades

O coach deve dar apoio, fazer perguntas e não julgar.

  • Coachee deve buscar as próprias respostas e colocar em prática os recursos que ganhou consciência.

Habilidades de um coach

  • criar uma aliança. Gerar confiança;
  • esclarecer qual o tema ou problema;
  • colocar foco no futuro desejado;
  • ouvir com atenção e sem julgamento;
  • fazer perguntas;
  • crenças que impulsionam e/ou seguram;
  • buscar os recursos internos do cliente;
  • estimular a colocar em prática as ações;
  • sensibilidade para perceber o cliente.

Tipos de processos de coaching

Transformação de uma Era industrial para uma Era do conhecimento, criou tipos de processos de coaching.

  • Coaching de Vida.
  • Coaching Executivo.
  • Coaching de Carreira.
  • Coaching de Equipe.

Coaching de vida

Foca em aumentar a satisfação do indivíduo como um todo.

Coaching executivo

Foco em elevar a performance do executivo (líder ou gestor).

Coaching de carreira

Busca auxiliar o coachee a encontrar satisfação na carreira, apoia-o nas etapas que envolve a gestão da carreira.

Coaching de equipe

Foco em aumentar o desenvolvimento de uma equipe para alcançar uma meta ou projeto.

Período

Período de um processo de coaching pode variar de 10 horas até 2 anos.

Sessões semanais, de uma hora.

Presenciais e/ou virtuais.

Conclusão

Entendemos a importância do coaching, suas denominações, tipos e o papel e responsabilidades de cada elemento envolvido.

Acreditamos que com essa base você terá mais subsídios para saber qual tipo de processo procurar para sua organização, para você e para seus liderados.

Saiba mais

https://administradormaisvoce.com/2017/12/07/a-importancia-do-autoconhecimento-profissional-e-pessoal/

 

Até o próximo tema!

Coaching de Relacionamento

Veja como o coaching de relacionamento pode te ajudar nas questões amorosas

maxresdefaul

O que é coaching de relacionamento?

O processo de coaching de relacionamento é um método baseado em perguntas, que levará os coachees (clientes atendidos) do seu estado atual para o seu estado desejado, ou seja, promoverá a transformação de atitudes tóxicas no relacionamento para comportamentos favoráveis para uma relação mais forte.

Esse tipo de coaching é destinado para pessoas que estejam buscando um parceiro e para aquelas que já têm um companheiro, mas que querem melhorar a qualidade do relacionamento.

O Coaching de Relacionamento, trabalha questões como insegurança, timidez, baixa autoestima e diversas outras questões que podem estar fixadas inconscientemente na mente das pessoas, e isso pode interferir na progressão desses relacionamentos e sabotando a felicidades de várias pessoas e casais.

O que faz o Coach de Relacionamento?

O Coach de relacionamentos, com o objetivo de transformar vidas e relacionamentos, busca formas, estratégias e ferramentas que intensifique uma comunicação clara e objetiva nos relacionamentos dos seus Coachees. Outro ponto que também é objetivo para o Coach de relacionamento, é mudar padrões de relacionamentos herdados dos pais, ou seja, filhos que inconscientemente se espelham nos relacionamentos dos pais e herdam comportamentos e pensamentos semelhantes, o que fazem dos seus relacionamentos, um fracasso.

Benefícios do coaching de relacionamento

Para que possamos conquistar alguém, iniciar, construir e manter um relacionamento, é preciso que estejamos bem com nós mesmos, preparados e conscientes das nossas expectativas e desejos.

As ferramentas de coaching de relacionamento proporcionam um autoconhecimento melhor do coachee, que entenderá quais são os seus pontos fortes e fracos no seu relacionamento ou na sua atitude em buscar alguém para uma relação amorosa.

Esses pontos fracos podem ser desde dificuldade em se comunicar ou estabelecer conexão com o outro até ciúme excessivo. É muito comum, também, que pessoas procurem o coaching de relacionamento para reduzir timidez ou por conta de dificuldades em expressar sentimentos.

O desenvolvimento pessoal do coachee também é muito trabalhado durantes as sessões e não somente o andamento da relação do casal, porque um relacionamento saudável começa quando os dois lados estão motivados e dispostos a construir algo duradouro. O coachee será sempre estimulado a fazer a sua parte na relação.

Outro grande benefício do coaching de relacionamento é o aumento da capacidade do coachee em estabelecer uma conexão forte entre as duas partes da relação.

Filme Recomendado

Hitch – Conselheiro Amoroso

 

 

MENTE CRIATIVA

Confira 15 dicas infalíveis que vai te ajudar a pensar “fora da caixa” e ser bem-sucedido

criatividade-executivo

1. VOCÊ PODE

A primeira dica é uma das mais importantes: acredite que você pode ser criativo. As pessoas não devem encarar a criatividade como um dom. Ela é apenas uma característica que todos nós possuímos. Tendo essa consciência, já é meio caminho andado para o alcance da criatividade.

2. COMBINE CONCEITOS

Uma das táticas usadas por quem é bem criativo é misturar diversas ideias. Ao se combinarem múltiplas possibilidades surgem, o que aumenta as chances para resultados criativos.

3. APRENDA, SEMPRE

Ainda que você tenha feito uma faculdade, uma pós-graduação ou outros cursos de especialização, a busca por instrução nunca deve parar. Se não for por meio de estudos acadêmicos, procure outros campos para aprender mais, como línguas ou trabalhos manuais. Estar em constantes aprendizado aumenta nosso acervo de possibilidades para resolver problemas ou fazer as mesmas coisas de outras maneiras. Quanto mais você aprender, mais criativo será.

4.VIAJE 

Conhecer novos lugares e culturas o ajuda a ter outra visão do mundo e das pessoas e, consequentemente, gera mais ferramentas para ajudar a desenvolver a criatividade. Além disso, conviver com as adversidades nos faz mais tolerantes com o próximo.

5. RELAXE

Estar sempre com os pensamentos a mil por hora não faz bem para o processo criativo, mas pelo contrário: favorecem o bloqueio do poder de inovação. A mente precisa de uma pausa, um momento para relaxar. Sempre que uma situação-problema se apresentar, busque respirar, relaxar e se concentrar para que novas possibilidades de resolução apareçam. Geralmente, ideias criativas ocorrem quando estamos com o foco no agora, relaxados e sem preocupações.

6. FUJA DA MESMICE

Fazer tudo sempre da mesma maneira pode ser um caminho seguro, porém, nem um pouco criativo. Sair do automático é fundamental para o processo criativo, já que a criatividade está presente justamente no diferente. Pensar sempre da mesma maneira, ouvir sempre as mesmas pessoas e fazer as coisas do mesmo jeito são atitudes que bloqueiam seu potencial criativo.

7. AJUDA DE TODOS

Escutar a opinião de gente ao seu redor, às vezes, pode ser bastante útil. As pessoas que convivem conosco são as que melhor nos conhecem e podem ser de grande valia dentro de um processo criativo até mesmo fornecendo a visão de alguém de fora do negócio. Mas é preciso ficar atento: nem todo mundo quer nosso bem. Assim, alguns conselhos negativos devem ser desconsiderados.

8.CONHEÇA NOVAS PESSOAS

Cada ser humano é único e traz com ele histórias e experiências ímpares. Quanto mais pessoas você conhecer, maior será seu repertório criativo, pois aumentará sua visão interpessoal, fundamental para pensar em soluções. Não precisa virar melhor amigo de todo mundo, mas puxe assunto sempre que tiver oportunidade: na vizinhança, em viagens, no trabalho, no clube…. É garantia de uma surpresa atrás da outra.

9. LEIA

Não é à toa que os livros são considerados uma das ferramentas mais poderosas para inovação. Literatura, clássicos, ficção, quadrinhos, romance…. Quanto mais variados os assuntos melhor, pois você estará diante de ideias diferentes das suas e um novo mundo se abre a cada página. Já ouviu aquela máxima de que ler é viajar sem sair do lugar? Boa viagem!

10. NÃO SE CONFORME

Aceitar tudo o que nos é entregue nem sempre é vantajoso. Afinal, foi desafiando muitos paradigmas que aconteceram as revoluções da civilização humana. Claro que você não precisa sair enfrentando tudo que o desagrada, porém, se contentar sempre também não é a solução. Não mate aquela inquietude interna que nos incomoda tanto. Não se conforme com o que está estabelecido. Devemos ter um olhar crítico para as tais verdades estabelecidas, desconfiar do consenso das unanimidades.

11. EXPERIMENTE O NOVO

Você é daqueles que recusa um prato sem nem mesmo provar? Pois saiba que abrir-se ao novo proporciona diversas vantagens, como se tornar mais criativo. Ninguém nunca sabe o que uma novidade pode trazer, por isso, o indicado é experimentar o maior número possível de sensações. Um esporte radical, outro estilo de roupa, um novo corte de cabelo, até um caminho diferente para casa: sair da rotina ajuda a criatividade a se manifestar.

12. SEJA CURIOSO

Por quê? Onde? Quando? Como? Essas perguntar devem fazer parte do vocabulário dos criativos, já que elas instigam a curiosidade e aumenta as chances de encontrar novas soluções. Não só em situações problemáticas, mas, em tudo que lhe desperta o interesse, busque saber mais.

13. SAIA DA ZONA DE CONFORTO

Sair de nossa área de conforto fará com que estejamos mais preparados para enfrentar as adversidades. Portanto, quanto maior conhecimento diversificado tivermos, melhor. Ver outro ponto de vista, outra maneira de viver abre nossa cabeça, nos faz julgar menos e entender que a criatividade é infinita, e que não existe o certo e o errado.

14. SEJA PRÓ-ATIVO

Oferecer ajuda e se prontificar a fazer algo pode não ajudar diretamente sua criatividade, mas aumente as chances de colocar em prática suas ideias criativas. Além disso, auxiliar o próximo contribui para que suas amizades e experiências cresçam, o que interfere positivamente no processo criativo.

15. PENSE POSITIVO

Não só no campo da criatividade, mas em tudo na vida, só é possível evoluir quando se acredita que dará certo. Um ambiente positivo propicia benefícios para todos. As adversidades sempre vão existir, mas o grupo que tem uma visão positiva da vida estará na frente para a solução mais rápida dos problemas.

Saiba Mais

 

O QUE SÃO PARADIGMAS

images (3)

Paradigma é um modelo ou padrão a seguir.

Etimologicamente, este termo tem origem no grego paradeigma que significa modelo ou padrão, correspondendo a algo que vai servir de modelo ou exemplo a ser seguido em determinada situação.

São as normas orientadoras de um grupo que estabelecem limites e que determinam como um indivíduo deve agir dentro desses limites.

Deixando mais claro, paradigma é algo que está acontecendo como padrão ou regra, sendo aceito por não se ter atitudes contrárias à situação vigente, dessa forma, os indivíduos devem aceitar certas situações sem resistência, sem restrição, sem objeção, etc.

O tempo todo estamos vendo o mundo por meio de nossos paradigmas.

Eles funcionam como filtros que selecionam o que percebemos e reconhecemos e que nos levam a recusar e distorcer os dados que não combinam com as expectativas por eles criadas.

Sendo diferentes os paradigmas de duas pessoas em relação a um determinado tema, o que é percebido por uma será imperceptível para a outra; chama-se isso de “efeito paradigma”.

Além de influir sobre nossas percepções, nossos paradigmas também influenciam nossas ações: fazem-nos acreditar que o jeito como fazemos as coisas é o “certo” ou “a única forma de fazer”.

Assim costumam nos impedir de aceitar ideias novas, tornando-nos pouco flexíveis e resistentes a mudanças.

A importância da quebra de paradigmas

No âmbito empresarial, a quebra de paradigmas é um processo de mudanças que transforma e leva a organização a enfrentar desafios e conquistar espaço no mercado.

Quebrar paradigmas e pensar fora da caixa são ações fundamentais para o crescimento e sobrevivência de uma organização empresarial.

Embora muitos empreendedores acreditem que basta inovar para quebrar paradigmas, este é um processo que exige planejamento, estabelecimento de metas e coragem para pensar fora da caixa.

Para que o processo realmente aconteça, é necessário abusar da criatividade para prender a atenção do cliente e conquistar o consumidor por meio de promoções diferenciadas, programas de fidelidade ou produtos que sejam interessantes para o público.

Conclusão

“paralisia de paradigma” pode nos impedir de ver as oportunidades positivas que se encontram à nossa volta; para percebê-las precisamos ser flexíveis e dispostos a perceber coisas além dos que estamos habituados.

PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA

Gehirn - Schwingungen 1

A Programação Neurolinguística ou simplesmente PNL é uma ciência que estuda como nossas experiências subjetivas afetam nosso comportamento e aprendizagem. Também pode ser entendida como um conjunto de técnicas que ajudam a entender e modificar os processos internos pessoais por meio da identificação dos padrões de linguagem verbal e extraverbal responsáveis pelas nossas reações nos mais diversos contextos.

A PNL explica como organizamos nossos sentimentos e emoções e os mobilizamos para alcançarmos nossas metas e objetivos. A parte neuro corresponde aos nossos pensamentos, e a linguística diz respeito à maneira como utilizamos as palavras para influenciar as outras pessoas e a nós mesmos.

Como surgiu a Programação Neurolinguística?

A Programação Neurolinguística foi desenvolvida em meados da década de 1970, na universidade da Santa Cruz, na Califórnia pelo professor de linguística John Grinder em parceria com o matemático e psicólogo Richard Bandler. Os dois estudiosos uniram-se, pois tinham uma lacuna em comum: entender por que algumas pessoas conseguem resultados fantásticos em determinada área, enquanto outras, nem mesmo com muito treinamento, alcançam o mesmo resultado e alto desempenho.

Grinder e Bandler começaram comparando pessoas que sofriam de problemas variados com aquelas que tinham se curado. Eles descobriram uma diferença emocional significativa entre os estados apresentados pelos dois grupos: enquanto o primeiro pensava no objeto de seu medo como se estivesse passando por aquilo, as segundas, não. Conclusão: a forma como as pessoas mentalizam determinada situação faz grande diferença no modo como elas vão vivenciá-las.

Mais tarde, Bandler e Grinder se uniram ao mais notável hipnotizador do mundo, Dr. Milton H. Erickson. Essa parceria contribui para o desenvolvimento de novos métodos terapêuticos. Foi então que surgiu oficialmente a PNL, como forma de compreender e reproduzir o potencial humano.  O objetivo dessa técnica é ensinar às pessoas como trabalhar a sua mente para influenciar o comportamento e conseguir melhores resultados.

 Entendendo a PNL

A Programação Neurolinguística defende que temos três posições perceptivas, ou seja, três modos distintos de encarar uma mesma questão. Num primeiro plano, está o ponto de vista do Eu – como eu penso, quais são os meus valores, crenças, desejos, interesses. A segunda posição diz respeito ao Outro, à forma com que consideramos a opinião das pessoas ao redor, seus sentimentos e como nos colocamos no lugar dela. A terceira posição faz uma observação sistêmica, de fora, da primeira e segunda posição. Ela constrói uma nova visão das duas perspectivas, sem necessariamente precisar adotar uma delas, criando uma visão mais abrangente do Eu e do Outro.

Ao evoluir de um patamar único, e criar essa visão sistêmica, a PNL defende que podemos mudar de três formas:

  1. Mudando o modo como abordamos determinado assunto
  2. Mudando nosso pensamento sobre o assunto
  3. Mudando nossos comportamentos

Para a PNL, aquilo que consideramos como realidade, na verdade, é apenas uma forma de enxergar o mundo. Cada pessoa tem seu ponto de vista, porque teve experiências diferentes. Consequentemente, para mudarmos a forma de agir, precisamos modificar os nossos pensamentos. O método identifica, modela e transforma a nossa estrutura subjetiva para que possamos ter uma postura mais positiva diante da vida.

A PNL considera que todas as pessoas possuem potencial para fazer aquilo que desejam. Para isso, precisam conhecer e modificar a estrutura ou padrões subjetivos, transformando as suas experiências. Corpo e mente devem estar em equilíbrio para desenvolver as habilidades necessárias aos seus propósitos.

Por José Roberto Marques

Disponível em:

http://www.ibccoaching.com.br/portal/coaching-e-psicologia/programacao-neurolinguistica/