ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE VIDA E CARREIRA – PARTE 1

Basicamente, o plano de carreira deverá ser elaborado para levá-lo do seu estado atual (como você está hoje profissionalmente) ao estado desejado (como gostaria de estar dentro de um período determinado de tempo).

O objetivo pode ser de médio ou longo prazo, adaptado e remodelado com o passar do tempo.

1529455938975

Passo 1: Não tenha medo de sair da zona de conforto

Estar aberto a correr riscos e se lançar a novas experiências é essencial para refletir sobre o que você realmente quer fazer.

O que é uma zona de conforto

Zona de conforto é aquilo que nós conhecemos e sentimos conforto em fazer. Andar por uma rua conhecida, por uma cidade conhecida, fazer um trabalho conhecido, andar em congestionamentos conhecidos, falar do que é conhecido. O que a mente já automatizou na sua vida se torna confortável e simples de fazer. Não oferece mais desafios para ser feito. Mesmo que pareça algo que o incomoda, por exemplo, não agir perante um desejo de mudar, de crescer de evoluir, assim mesmo é uma zona de conforto.

Perguntas que geram respostas da sua mente de como sair da zona de conforto

O que você quer realmente da vida?

O que você está disposto a fazer pelo que quer?

Quanto tempo você tem dedicado para atingir o que quer?

Quanto tempo você perde por dia com distrações que não levam ao objetivo?

Quando você vai começar a fazer o que sabe que é preciso fazer?

O que você está disposto a abrir mão para ter o que quer?

Quanto tempo você ainda aceita ficar sem evoluir na direção do que quer?

Quem define o que você quer é você? Ou terceirizou para o destino?

Quem define o que você vai fazer neste instante?

Quem manda no seu horário depois que sai do trabalho?

Quantos minutos por dia você gasta em coisas que não são importantes?

Quanto tempo você deixa de andar no sentido do que quer?

Quanto tempo se dedicou hoje para conseguir o que quer?

O que aconteceria se você tivesse o que quer?

O que te impede de ter o que você quer?

Quanto tempo a partir de agora, você vai dedicar a superar o que te impede de atingir o que quer?

Você conhece suas zonas de conforto em relação ao que quer?

Conhece as Zonas de desconforto em relação o que precisa fazer?

O que você não sabe sobre como atingir o que quer?

Quanto tempo esta se dedicando a aprender o que ainda não sabe?

Você já sabe todas as possibilidades que te levam ao que você quer?

Você já tentou mudar de estratégia se ela não deu certo?

Quantas vezes você já desistiu e trocou de objetivo que queria atingir, em vez de mudar de estratégia?

É isso mesmo que você quer?

 

Conclusão

Sair da zona de conforto é fundamental para o sucesso do seu plano de vida e carreira, pois você vai ser capaz de lidar com o inesperado, vai desenvolver novas habilidades, viverá novas e enriquecedoras experiências.

Abraços, Sucesso!

 

CONHECIMENTO É DINHEIRO

Empreendedorismo digital

FORMULA-NEGOCIO-ONLINE

Com a evolução da tecnologia e a ascensão da internet, surgiram novas formas de trabalhar e ganhar dinheiro. Depois da invasão das empresas nas redes sociais, estreitando o relacionamento com os clientes, pessoas físicas ( e talentosas! ) viram na internet uma opção que pode ser muito rentável: o infoproduto. Esse tipo de negócio ainda é pouco conhecido, mas já mostrou que veio para ficar, afinal, qualquer pessoa pode utilizar a tecnologia para ensinar algo que domine de diferentes maneiras como e-books, apostilas, vídeo aulas etc.

Você é expert em algo? Estudou sobre um tema específico ao longo da sua vida e está apto para compartilhar sobre este assunto? Ou quer inspirar as pessoas com um novo modelo de negócio? Se respondeu sim a alguma dessas perguntas, você pode e deve pensar em investir em um infoproduto.

 

PARA SABER MAIS BAIXE O E-BOOK GRATUITAMENTE NO LINK DA DESCRIÇÃO ABAIXO:

https://go.hotmart.com/I6608782A?ap=0bf2

 

Abraços, até a próxima

COACHING PARA PERFORMANCE

a-estrutura-de-um-trabalho-de-coaching-o-processo-de-coaching

John Whitmore, foi um pioneiro da indústria de coaching executivo, autor e piloto de corridas britânico.

Ele é considerado um dos grandes pensadores na área de liderança e melhoria contínua corporativa, tendo auxiliado diversas empresas ao redor do mundo a estabelecer uma cultura de coaching e gestão de líderes. Sua metodologia GROW é considerada um dos pilares do coaching tradicional.

Ele escreveu cinco livros sobre liderança, coaching e esportes, entre eles o best seller Coaching Para Performance publicado em 17 línguas e que ultrapassou a marca de 500.000 livros vendidos.

COACHING PARA PERFORMANCE

 SEQÜÊNCIA DAS PERGUNTAS

G – Goal – definido para a sessão tanto quanto para curto e longo prazos.

R – Realidade – exploração da situação atual

O – Opções e estratégias alternativas ou cursos de ação

WWhat/When/Whom/Will – O que será feito, Quando, Por Quem e o Desejo de fazê-lo.

 PERGUNTAS DE COACHING

GOAL

Qual é a matéria ou assunto no qual você gostaria de trabalhar?

Que tipo de resultado você está esperando ao final desta sessão de coaching?

Quão longe e quão detalhadamente você espera ir nesta sessão de coaching?

No longo prazo qual é o seu goal relacionado a este assunto? Qual o tempo para isso?

Quais os passos intermediários e quando eles irão acontecer?

REALIDADE

Qual é o detalhamento da situação atual?

Qual e quão grande é sua preocupação sobre isso?

A quem mais este assunto afeta além de você?

Quem conhece seu desejo de fazer alguma coisa sobre isso?

Qual é o grau de controle que você pessoalmente tem sobre esse resultado?

Quem mais tem controle e em que grau?

Que ações você já tomou à respeito até agora?

O que lhe impediu de fazer mais?

Que obstáculos você terá que enfrentar pelo caminho?

Existe algum obstáculo interno ou resistência pessoal sua para tomar essas ações?

Que recursos você já tem? Habilidades, tempo, entusiasmo, dinheiro, apoio, etc?

Que outros recursos você necessita? De onde você eles virão?

Qual é realmente o problema aqui, o ponto central?

OPÇÕES

Quais são as diferentes maneiras pelas quais você poderia lidar com esse assunto?

Faça uma lista de todos as alternativas, pequenas ou grandes, completas ou parciais.

O que mais você poderia fazer?

O que você faria se tivesse mais tempo, orçamento maior ou se você fosse o chefe?

O que você faria se você pudesse começar do zero, ou com uma nova equipe?

Você gostaria de ouvir uma sugestão minha?

Quais são as vantagens e as desvantagens de cada uma dessas alternativas?

Qual o levaria ao melhor resultado?

Quais destas soluções lhe atraem mais, ou você sente que seria melhor para você?

O que lhe daria maior satisfação?

WILL

Qual opção, ou opções, você escolhe?

Em que medida ela atende a todos os seus objetivos?

Qual seu critério ou medida de sucesso?

Quando precisamente você vai começar e terminar cada estágio de ação?

O que poderá impedi-lo de seguir esses passos ou atingir seu goal?

Que resistência pessoal, se há alguma, você tem para seguir os passos fixados?

O que você vai fazer para eliminar estes fatores externos e internos?

Quem necessitará saber de seu plano?

Que apoio você necessita e de quem?

O que você vai fazer para obter esse apoio e quando?

O que eu posso fazer para apoiá-lo?

Numa escala de 1 a 10 quais seu comprometimento em seguir as ações combinadas?

O que lhe impede que seja 10?

Conclusão

As pessoas de alta performance estão, sempre, em melhoria contínua e trazem excelentes resultados para as empresas.

Abraços, até próxima

 

Construindo sua marca pessoal

Construindo sua marca pessoal

melhor_marca

Todos nós temos uma marca. É a forma como somos reconhecidos. É o que falam de nós quando estamos ausentes. É a imagem que passamos ao nosso mercado. É importante ressaltar que nossa marca pessoal pode e deve ser planejada, construída, cuidada e alimentada para que seja uma marca reconhecida positivamente. Confira agora sete dicas para você construir sua marca pessoal:

1- Defina aonde você realmente quer chegar. Quais são seus objetivos na vida?

A primeira dica é realmente saber o que você quer da vida. Aonde quer chegar? O que realmente quer ser? Como quer ser visto(a) e reconhecido(a)?

2- Alicerce sua vida em valores e princípios elevados.

Sua marca tem que ter como alicerce um conjunto elevado de crenças, valores e princípios sobre os quais ela será construída.

3- Defina claramente qual é o seu público-alvo. Quem você quer servir?

É fundamental você definir o seu mercado, ou seja, quem você quer servir, atender, enfim, seu público-alvo.

4- Invista em seu conhecimento técnico e seja excelente no seu campo de atuação.

Para ter sucesso é preciso que você seja excelente no que faz do ponto de vista técnico, ou seja, que seja especialista e não pare de se aperfeiçoar dentro do campo em que atua.

5- Tenha foco. Foco é onde você concentrará de 70% a 80% de sua energia.

Foco é fundamental para o sucesso. Saiba dizer não as tentações que o farão perder o foco.

6- Defina qual é seu diferencial e sua proposta única de valor a seu público-alvo.

Pense qual a razão pela qual alguém contrataria você ou seus serviços. Qual a sua proposta única de valor? Qual o seu real diferencial? Invista em seu diferencial competitivo.

7- Seja consistente e coerente com seus princípios e valores.

A coerência entre o discurso e a prática, isto é, o que você fala e o que você faz, é fundamental para o sucesso de sua marca pessoal. Toda a sua vida e suas ações, atitudes e comportamentos devem ser consistentes com sua proposta e como quer ser reconhecido(a). Sem essa consistência e essa coerência a sua marca terá vida curta.

Saiba Mais

https://www.ibccoaching.com.br/portal/vida-profissional/como-construir-credibilidade-profissional/

Conclusão

Analise com atenção essas sete dicas e pense como sua marca pessoal é vista hoje e o que deve fazer para que ela comunique o que você quer ser e como quer ser reconhecido (a).

Pense nisso. Sucesso!

 

A IMPORTÂNCIA DE DEFINIR UM PLANO DE AÇÃO

Businesswoman working on paperwork.

Alcançar grandes resultados, ascender na carreira, realizar metas e objetivos com efetividade. Com certeza, esses elementos são desejados por todo profissional que busca sucesso. Para conseguir tudo isso, no entanto, é necessário planejar todos os passos e ter disciplina para cumpri-los. Nessa perspectiva, elaborar um plano de ação é uma forma de separar as etapas de elaboração da execução, obtendo um estudo mais detalhado de todas as atividades necessárias para atingir o objetivo. Mas o que é um plano de ação? Como seu próprio nome já diz, trata-se de um projeto em que estejam consolidadas todas as informações sobre o objetivo desejado, desde as atividades para concretizá-lo, quanto os recursos físicos, monetários e humanos necessários. Essa ferramenta permite que todas as decisões sejam tomadas antes mesmo de colocadas em prática, garantindo mais assertividade e correção prévia de eventuais problemas. Dessa forma, é muito indicada para alcançar soluções a curto prazo, mas nada impede de ser utilizada também em outras circunstâncias. O plano de ação pode ser utilizado por profissionais que querem atingir alguma meta em suas carreiras ou por empresas que precisam investir em soluções mais complexas. Ele possibilita que o executor siga uma sequência de tarefas mais claras e lógicas previamente delimitadas, o que leva à concretização dos objetivos de forma mais rápida e prática. A sua efetividade é explicada principalmente porque considera as condições internas e externas ao indivíduo ou à companhia para montar estratégias adequadas a serem desempenhadas em determinado período de tempo. Para se ter uma ideia da importância do plano de ação, ele pode ser a base para um planejamento estratégico, porque ajuda a identificar, corrigir e até prevenir problemas. No entanto, a sua elaboração exige do executor uma boa coleta e análise de dados, de forma a projetar o futuro levando em consideração fatores básicos que devem ser respeitados por quem o executará. Essa coleta poderá ser realizada por meio de uma autoanálise sobre suas capacitações profissionais e pessoais, caso você esteja interessado em utilizar a ferramenta para alavancar sua carreira. Já se sua finalidade for propor soluções a sua empresa, atas de reuniões, pesquisas, relatórios de auditoria entre outros documentos podem ser muito úteis.

Do papel para a concretização dos objetivos

Imagine que você deseja uma promoção de cargo na empresa onde trabalha ou mesmo mudar de carreira. Já se perguntou como fará para alcançar esses objetivos? Pois bem, o plano de ação será o seu balizador e orientará cada passo rumo ao alcance daquilo que deseja. Para exemplificar como ele funciona, imagine que você esteja no ponto X de sua carreira e queira ir para o ponto Y. O projeto o ajudará a delimitar todos os passos para fazer essa movimentação. Algumas orientações são fundamentais na elaboração eficaz desse planejamento.

Siga as etapas do plano de ação

Como todo planejamento, o plano de ação também deve ser elaborado, desenvolvido e encerrado, seguindo as etapas: início > planejamento > execução >monitoramento> encerramento.

Início

Para ser elaborado, o plano de ação exige um bom conhecimento de seu executor, permitindo que ele não somente organize o projeto com mais eficiência como também identifique eventuais problemas que possam prejudicar o andamento das atividades. Além disso, esse conhecimento permite definir adequadamente os prazos e custos necessários para executar as ações que levem à concretização dos objetivos.

Planejamento

O planejamento é a base da estrutura do plano de ação, porque é aqui que deverão ser definidas as principais atividades e respectivos recursos para executá-las. Dessa forma, nesta etapa, o executor tem como tarefas elaborar um cronograma, determinar a participação dos profissionais e os custos necessários. Além disso, também é preciso elaborar planos de ação secundários de acordo com as exigências para realização das atividades delimitadas, como, por exemplo, risco, qualidade, recursos humanos, entre outros.

Execução

Esta é a fase em que as ações planejadas serão colocadas em prática. Para cada uma delas, deverá ser atribuído o consumo de orçamento previamente calculado, assim como dos recursos humanos e físicos. O executor deve analisar a execução de cada uma das atividades porque é nesta etapa que ficarão evidentes os eventuais erros e desvios que poderão prejudicar o andamento do plano.

Monitoramento

Você deve também desenvolver estratégias para acompanhar a evolução geral do seu plano de ação, bem como definir no cronograma os períodos em que fará essa análise. Quando identificar algum problema, deve listá-lo, identificar as suas causas e atribuir uma solução adequada para resolvê-los. Se necessário, não hesite em ajustar alguma etapa de seu projeto para garantir a sua eficácia.

Encerramento

Na fase de encerramento, você deve rever o plano de ação e transferir as informações para um documento que o permita fazer o acompanhamento adequado. Se houver mais envolvidos na execução do projeto, deverão receber uma cópia com suas respectivas atividades e outras informações relevantes adequadamente listadas. Esta fase é importante para implementar eficazmente o seu planejamento.

Ferramenta 5W2H: plano de ação mais eficaz

Um dos métodos mais utilizados para organizar e colocar em prática um Plano de Ações é o sistema 5W2H, que permite fazer um mapeamento detalhado de todas as suas atividades do início até o alcance de sua meta. Veja abaixo as definições de cada passo e comece a montar seu plano de ação seguindo essa organização e respondendo as seguintes questões:

  • What – O que deve ser feito – descreva todas as etapas necessárias para atingir o objetivo proposto.
  • Why – Por que será feito – solicita que o executor do plano de ação justifique a necessidade de se alcançar o objetivo definido.
  • Where – Onde será feito? – você deverá determinar onde serão executadas as tarefas para a concretização do plano.
  • When – Quando será feito – determine um período para finalização de todas as ações, de modo a garantir que elas sejam executadas no prazo estipulado para atingir o objetivo.
  • Who – Por quem será feito? – delegue as atividades adequadamente a cada profissional envovlido, caso haja, para evitar que problemas com atribuições interfiram no andamento do projeto.
  • How – Como será feito? – definir os métodos que serão necessários para execução de cada etapa proposta no plano de ação.
  • How Much – Quanto custará fazer? – determinar o valor do investimento necessário para executar as etapas exigidas, o que inclui recursos financeiros e humanos.

Por meio desse esquema, é possível organizar um plano de ações e elencar as principais informações para planejar, com assertividade, o passo a passo de sua carreira. Entretanto, esse é apenas um modelo e você pode desenvolver outro que atenda especificamente seus objetivos. De todo modo, procure estar sempre atualizado sobre seu mercado de atuação, fazer novos cursos e aprimorar suas competências comportamentais, especialmente no que tange o trabalho em equipe, automotivação, foco, gestão do tempo e comunicação interpessoal.

Por  

Disponível em:

http://www.ibccoaching.com.br/portal/coaching-carreira/importancia-definir-plano-acao/

IDENTIFICANDO A RAIZ DE UM PROBLEMA

foto

Existe uma técnica desenvolvida por profissionais japoneses que diz que se você definir um problema e perguntar por que ele está acontecendo, até cinco vezes, você provavelmente vai encontrar a raiz desse problema.

Por exemplo:

  • A casa está fria ( Problema ) Por quê ?
  • Porque o sistema de aquecimento está quebrado. Por quê ?
  • Porque não foi feita a manutenção periódica. Por quê ?
  • Porque eu não queria gastar o dinheiro. Por quê ?
  • Porque eu sou muito pão-duro e não gosto de gastar dinheiro a não ser quando não tem outro jeito ( Raiz do problema! )

A solução imediata para o problema de a casa estar fria é, obviamente, consertar o sistema de aquecimento. A solução permanente, porém, é uma mudança na minha mentalidade em relação ao dinheiro.

Eu preciso reajustar os meus pensamentos e compreender o conceito fundamental de “gastar agora para economizar mais tarde”. Se fizer a manutenção do sistema de aquecimento periodicamente, vou gastar algum dinheiro agora, mas não tanto como quando o sistema quebrar por falta de manutenção.

É claro que posso decidir apenas consertar o aquecimento agora, e não me preocupar com a raiz do problema. Nesse caso, tenho que estar consciente de que o problema voltará no futuro…

Perguntas ” por quê ” de maneira inteligente é uma boa forma de encontrar a raiz de seus problemas e assim buscar uma solução permanente.

Enfim,  você faz perguntas focadas no que você precisa para entender melhor o problema e segue ouvindo atentamente as respostas. Note que essas perguntas não são acusativas nem têm como alvo achar um culpado, apenas buscam as informações relevantes.

Saiba mais em:

http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/solucionando-problemas-com-a-tecnica-dos-cinco-porques/69769/

 

 

CHECK-UP PROFISSIONAL PASSO A PASSO

AS QUESTÕES ABAIXO, SE RESPONDIDAS COM SINCERIDADE, VÃO AJUDAR VOCÊ A PENSAR SOBRE SEUS OBJETIVOS DE LONGO PRAZO E A CRIAR UM PLANO DE AÇÃO PARA SUA CARREIRA, PROCURE REGISTRAR AS RESPOSTAS NA AGENDA, NO COMPUTADOR OU NO CELULAR, TANTO FAZ.

download

ETAPA 1

INTERESSES E OBJETIVOS

A) Se eu tivesse oportunidade, trocaria de profissão ou de ocupação?

B) O que eu gostaria de fazer? Por quê?

C) Qual é meu sonho profissional? O que falta para chegar lá?

PLANO DE AÇÃO: avaliar o grau de satisfação com o trabalho e criar um projeto de médio ou longo prazo. Por exemplo: “Quero ser diretor da empresa em que trabalho; meu objetivo é ir para a atividade acadêmica…”. Crie metas alinhadas à sua vocação e elenque o que terá de fazer para atingi-las.

download (1)

ETAPA 2

PERFORMANCE PROFISSIONAL

A) Em que sou realmente bom?

B) Propus inovações ou contribuí significativamente na minha empresa?

C) Posso desempenhar outra função?

PLANO DE AÇÃO: você precisa diagnosticar tendências no mercado ( quais são as competências técnicas e comportamentais mais desejadas na sua área ) e planejar sua atualização profissional. Deve elevar ainda seu nível de cultura geral, conhecer novos recursos tecnológicos e diversificar fontes de acesso à informação.

1479731414981

ETAPA 3

VIDA FINANCEIRA

A) Tenho reserva financeira de contingência?

B) Se perder o emprego, quantos meses eu conseguiria viver só de minhas economias?

C) Há renda extra? Qual é o valor dela?

PLANO DE AÇÃO: o primeiro passo é mapear receitas, cortar gastos e passar a poupar no mínimo 10% dos rendimentos para emergências. Pesquisar e fazer investimentos produtivos faz parte do pacote,assim como buscar atividade extra remunerada, que não o sobrecarregue. Mas crie um plano B.

images

ETAPA 4

NETWORKING

A) Minha rede de contatos é ampla?

B) De que maneira cultivo relacionamentos? Visito, telefono, escrevo?

C) Registro e organizo os meus contatos e encontros?

PLANO DE AÇÃO: aqui, é muito importante revisar e aprender procedimentos de networking. Resgate cartões e e-mails e registre seus relacionamentos, particularmente os mais interessantes. Tenha como meta reservar alguns minutos do dia para conversar de maneira descontraída com as pessoas.

Fonte: Revista SA edição 218